Feeds:
Posts
Comentários

A música ambiente do seu estabelecimento aumenta o poder de persuasão do vendedor.

A música que toca de fundo na sua loja influencia o comportamento do cliente, podendo levá-lo a permanecer mais tempo ou até estimulando a comprar, sair e dar lugar para outro cliente, dependendo do objetivo. Existem dezenas de estudos que comprovam a eficácia de uma música ambiente bem escolhidag. Um desses estudos diz que música ambiente bem escolhida e em volume baixo aumenta o poder de persuasão dos vendedores, é o que explica Leonardo Serra, sócio-diretor da Seleção de Músicas, consultoria especializada em experiências sonoras.

Segundo Leonardo Serra, pensar em música ambiente é tão vital quanto pensar na logotipia, por exemplo, visto que a música é o 2º sentido que mais motiva o consumidor a tomar decisões no ponto de venda. Outro dado interessante é que é a música é foi considerado o 3º item mais importante na vida das pessoas no dia-a-dia, perdendo apenas para a internet e o telefone. É bem conclusivo dizer que no ambiente corporativo esses dados sejam aplicados com o intuito de alavancar vendas.

o que é mais díficil de ficar sem no dia a dia olojista o lojista

A música foi considerado o 3º item mais importante do dia-a-dia

Diferencie-se dos concorrentes

Hoje, o lojista que pretende colocar uma música ambiente em seu estabelecimento tem à disposição dezenas de estações de rádio, sua coleção de CD’s e arquivo de áudio pessoais, além de web rádios e até vídeos no YouTube. O que a escolha de um ou outro desses itens o faz diferente de seu concorrente, considerado que ele também tem as mesmas opções? Ou, voltando ao título do post, como a escolher corretamente a seleção de músicas ambiente para alavancar as vendas?

O estudo da identidade sonora da marca é o que vai diferenciá-lo da concorrência e criar uma experiência única de compra. “Ao entrar no estabelecimento, o cliente precisa associar a experiência sonora a qual está submetido à loja onde se encontra”, é o que afirma Leonardo Serra.

Transformar clientes em fãs

A audição é o único sentido que não temos controle, ou seja, sempre estamos ouvindo algum som, diferente da visão e tato, por exemplo, que podemos optar ou não por ver ou sentir algo. “A música ambiente precisa ser escolhida a partir de critérios aspectos técnicos musicais, ou seja, timbre, ritmo, melodia e harmonia. Não basta simplesmente olhar para o público alvo e optar por um estilo musical.”, complementa Leonardo Serra.

Trabalhar a música ambiente faz parte de uma tendência natural de tornar seu cliente um fã. O cliente-fã, além de consumir, vai espalhar aos seus contatos a boa experiência de compra que teve. Não só na internet, compartilhar é a nova onda hoje em dia!

Um bom atendimento ao cliente depende de vários fatores. Como manter a qualidade do atendimento? Abaixo, sete empreendedores estadunidenses dão conselhos.

Treine todo mundo

“Uma das melhores táticas é mandar todos os novos contratados fazerem turnos no setor de atendimento ao consumidor como parte de seu treinamento – e não importa se é um representante de vendas ou um vice-presidente financeiro. Uma vez por trimestre, é bom que a diretoria faça um rodízio nessa área também.”

John Jantsch, da Duct Tape Marketing

Compartilhe o risco e o prêmio

“Esclareça o impacto que prestar um bom serviço tem na carreira de cada um dos funcionários. Eduque sua equipe sobre lealdade ao cliente e mostre como ela representa a imagem da empresa. Divulgue internamente métricas de atendimento e premie todos quando alcançarem objetivos em atendimento ao cliente.”

Tom Walter, da Tasty Catering

Elogie quem encanta

“Todo mundo deve se considerar responsável pelo atendimento ao cliente. Crie uma cultura em que cada um compreenda que tem poder para encantar o consumidor a qualquer hora. Quando você vir um atendimento sensacional de qualquer departamento, recompense o funcionário e elogie-o publicamente. Ter um atendimento excepcional é um objetivo que todos na empresa devem ter.”

David Cohen, da TechStars

Priorize o serviço

“A filosofia da empresa enfoca vendas ou serviço? Voltar-se para vendas gera uma mentalidade transacional que ameaça a lealdade ao cliente e a longevidade dessa relação. Quando toda a empresa prioriza o serviço, nutre-se uma relação com o consumidor que pode se estender por muitos anos.”

Sharon Lechter, da Pay Your Family First

Antecipe-se à demanda

“Atendimento é essencial em negócios que ficam frente a frente com o cliente. O empresário deve se antecipar e tentar prever qual será a demanda futura dos consumidores. Vale a pena contratar um time temporário para reforçar a equipe nos momentos de pico de venda, como o Natal.”

Alexandra Wilson, do Gilt Groupe

Dê o exemplo

“Enfatize a importância do serviço para toda a equipe. Bom atendimento começa no líder da empresa, com a visão e a filosofia que ele representa. A base para atingir um bom atendimento e reter clientes está nas crenças do presidente e em como ele as comunica.”

Marsha Firestone, da Women President’s Organization

Entre em contato

“É difícil administrar todos os pedidos quando a empresa está crescendo. Mas os consumidores sabem quando o empresário realmente se importa com eles e quando só pensa em dinheiro. Mande lembretes, notas de agradecimento escritas a mão e invista em ajuda de qualidade.”

Ingrid Vanderveldt, da Ingrid Vanderveld

Via Papo de Empreendedor

NIRE é a sigla para Número de Inscrição no Registro de Empresas,  e é obtido com o registro dos atos constitutivos das empresas nas juntas comerciais de cada estado. O NIRE é a inscrição na Junta Comercial do respectivo Estado. Para fazer uma consulta ao NIRE de uma determinada empresa é necessário pagar e ir no local fazer.

Muitas pessoas confundem o NIRE com a Inscrição Estadual e com o CNPJ.  NIRE é o numero da empresa perante a Junta Comercial, Inscrição Estadual é o número da empresa perante a Fazenda do Estado e CNPJ o cadastro da empresa na Receita Federal.

O NIRE é muito importante para fazer diversos procedimentos rotineiros das empresas, pois por exemplo, para fazer  solicitações de fichas cadastrais, certidões e fotocópias é obrigatório que a empresa tenha seu próprio NIRE.

 

Via O Significado

A burocracia emperra o crescimento do país.

A burocracia emperra o crescimento do país.

Como abrir uma empresa? Com certeza, você já precisou tirar algum documento, certo? Com a mesma certeza, podemos dizer que, exceto casos específicos, você deve ter reclamações a respeito da burocracia. Pois bem, não é diferente quando se pretende abrir uma empresa. Pelo contrário, os procedimentos se acumulam e as exigências são muitas.

Embora exista um movimento para mudar essa característica – que já mostra pequenos resultados – a grande realidade é que registrar uma empresa no Brasil é um processo Continuar Lendo »

Por Surama Ozório*

O que todo profissional de vendas deve saber o lojista olojista

Os vendedores que mais destacam são aqueles que mais estudam.

A maioria dos vendedores cai na área comercial de pára-quedas. Quando somos crianças e nos perguntam “o que você quer ser quando crescer?”, nenhum de nós responde vendedor. Muitos profissionais, quando não têm uma formação específica, acabam entrando na área comercial.

Ao efetivarem as primeiras vendas, após persuadirem o comprador e empurrarem os seus produtos e serviços, os olhos brilham, a comissão entra e eles se sentem onipotentes, acham que sabem tudo sobre venda.

Logicamente não existe vendedor nato, existem aqueles que já possuem habilidades, porém todos precisam ser treinados e capacitados. O vendedor tem que aprender a ser menos vendedor e mais consultor. O vendedor que somente tira pedido está fadado ao fracasso.

Como qualquer outra área, a comercial também precisa capacitar e treinar seus profissionais. A capacitação é primordial para o desenvolvimento. Os vendedores que se destacam e conseguem manter regularmente o sucesso de suas vendas são aqueles que mais estudam, leem, procuram ouvir e aprender. Isso não é coincidência.

Abaixo, resumo rapidamente as dez necessidades básicas para a formação e o sucesso de um bom profissional de vendas:

1. Goste do que faz

Não esteja na profissão por falta de opção ou porque é o que te dá dinheiro

2. Saiba ouvir

Trata-se do melhor caminho para descobrir as necessidades do potencial cliente. Em vez de dar as sugestões, pergunte mais

3. Seja objetivo

Não tente enrolar o cliente; vá direto ao ponto que interessa

4. Seja ético

Não minta ou engane para efetivar uma venda; a credibilidade vale mais do qualquer contrato fechado

5. Seja ambicioso e positivo

Pense grande e sempre acredite no sucesso das suas vendas. Não venda o preço, venda a solução

6. Seja humilde

Nunca ache que possui todo o conhecimento sobre a sua área; sempre é preciso aprender

7.Seja ousado

Tenha a audácia para inovar e empreender dentro da sua empresa; muitas vezes será preciso improvisar

8. Busque a empatia

Seja sempre educado e agradável com o potencial cliente; a gentileza abre portas

9. Busque o conhecimento

A constante capacitação pessoal e profissional leva à diferenciação

10. Planeje-se

Defina onde quer chegar e como atingirá sua meta; organização, comprometimento e persistência ajudam a obter o sucesso

*Surama Ozório é Gerente Nacional de Vendas da ClaireConference, empresa que oferece soluções de tele e web conferência para 154 dentre as 500 maiores companhias do Brasil

Via PEGN

fachada o lojista olojista

Não adianta ter o melhor produto se a sua fachada espantar seus clientes.

Abaixo seguem 5 dicas que você não pode ignorar ao pensar na sua fachada:

1. Harmonia

Priorizar a harmonia dos elementos com a vizinhança. Ninguém gosta do que é estranho, e isso inclui sua fachada em relação aos seus vizinhos de rua.

2. Lacunas

Ao projetar sua fachada, não esqueça de deixar alguns espaços para eventuais ações de marketing. Tente imaginar onde seria interessante pendurar um banner, uma faixa etc.

3. Manutenção

Tente não construir uma fachada elaborada demais, a ponto de dificultar sua  manutenção ou  limpeza. Quantas vezes você já não presenciou aquele comércio onde faltava uma letra no nome do negócio? Sempre pense que pode vir à cabeça do seu cliente: “se essa loja não cuida nem da parte que consigo enxergar, imagine os bastidores?”.

4. Calçada

Cuide da sua calçada e/ ou área de estacionamento. Seu cliente vai pensar duas vezes antes de lhe fazer uma visita se toda vez que ele estaciona o pára-choques raspa no chão.

5. Menos

Evite o excesso de informação. Se já na fachada você tentar colocar seus preços, forma de pagamento, condições para troca, promoções, horário de funcionamento, seu cliente provavelmente não vai conseguir encontrar nem o nome da loja. Lembre-se que menos, é mais.

Quando tudo parece que vai bem, é o momento de rever seus conceitos.

Você está percebendo que seus negócios estão indo devagar? Que o mercado está cada vez mais competitivo e que se você não fizer algo vai ficar para trás? Acho que é chegado o momento de colocar a cabeça para funcionar e analisar estratégias para dar um up em suas vendas.

Em uma recente matéria publicada na revista Exame, o sócio fundador da SaleSolution, Renato Romeo, e o professor especializado em PME da Fundação Instituto de Administração (FIA), Antônio Lage Terassovich, citaram pontos importantes para que vendedores e empreendedores aumentem suas vendas.

Evite atropelos

Tomar decisões impulsivas ou sem antes analisa-las com muita calma, preferencialmente, depois de elaborar um planejamento, pode ser uma jogada muito arriscada no mundo dos negócios.

Você não pode simplesmente baixar o preço de um determinado produto para com isso alavancar as vendas, você pode estar se destruindo, isso pode acabar gerando problemas maiores ao invés de solucionar o problema.

Fazer um bom planejamento é a solução para muitos problemas, o que não pode ser feito é deixar o planejamento engavetado. A implantação rápida pode ser um passo decisivo para o sucesso.

Arrume a casa

Nada de pressão em cima dos seus colaboradores ou se você for autônomo nada de se cobrar. Analise tudo o que está sendo feito para atingir os objetivos desejados, as metas que foram estabelecidas foram cumpridas?

Você já parou para pensar que o erro pode estar na má gestão dos recursos? Se este for erro é chegado o momento de pedir ajuda de um profissional. “O empreendedor precisa entender que a empresa tem necessidade de conhecimento”, diz o professor da FIA, Antônio Lage Terassovich.

É necessário ter noção de como gerenciar um pequeno ou médio negócio. Se você não se acha capaz para isso as alternativas que Terassovich dá são três: contratar, terceirizar ou arrumar um sócio.

Trabalhe no seu diferencial

O mercado está competitivo em todos os setores. Para garantir o seu sucesso é necessário ter um diferencial. De nada adianta você querer explorar em algo que já está muito trabalhado, trabalhe com aquilo que chamará a atenção do seu público alvo.

Uma pesquisa de campo entre seus cliente é uma boa alternativa para descobrir o que ele busca com o seu produto ou serviço. “Ao focar no público, a empresa se torna competente e adquire o seu diferencial”, destaca Terassovich.

Faça uma análise 360º

Está tudo certo na gestão de sua empresa. O planejamento está indo de vento em popa e os vendedores estão animados e prontos para trabalhar. Mas ainda não tem algo errado?

Está tudo certo internamente é bom dar uma olhada no externo. Como andam os seus concorrentes? Eles têm vendido mais do que você? Segundo Renato Romeo, o empreendedor deve analisar se o mercado está favorável ou em crise. “Se as empresas da minha área vão bem e a minha não, tem algo de errado com ela”, diz Romeo. A concorrência também deve ser estudada, para identificar em que ponto ela é mais competente.

Entenda o seu cliente

Como já falamos anteriormente fazer uma boa pesquisa de campo junto aos seus clientes é uma boa alternativa para identificar o que eles necessitam. Desta maneira você terá um leque de opções para poder trabalhar na área de planejamento de marketing. Segundo Terassovich, é preciso entender se ele prioriza qualidade, preço, atendimento ou todos os fatores.

Amplie seu mercado

Não fique estagnado, o crescimento de suas vendas depende exclusivamente de você. Uma boa dica é procurar aumentar a sua carta de clientes e isso só vai acontecer se você se arriscar.

Uma forma de se arriscar é sair do lugar comum. Você pode ver como anda o mercado em outras cidades próximas a sua, se há alguém que preste o mesmo serviço que você, numa dessa você pode angariar vários clientes e com isso fechar ótimos negócios.

“Mas é fundamental, no entanto, fazer uma checagem completa para avaliar se o caixa da empresa está saudável o suficiente para financiar a expansão”, explica Renato.

Qualifique seus vendedores

“A capacitação do profissional de vendas é o que dá o retorno imediato à empresa”, destaca Romeo. Ele afirma que a prática não é adotada no Brasil como é em outros países, pois o empreendedor vê a capacitação como uma despesa. “O pequeno e médio empresário é ainda muito preso aos custos.” Encare a qualificação como investimento e treine sua força de vendas, seja com ações internas ou recorrendo à ajuda de terceiros.

Tome cuidado ao mexer com preços

Não vá com a esperança de que a redução de preços aumentará as suas vendas. Isso pode ser um tiro no escuro. “Baixar é fácil, mas depois que aumentar, como explicar para o cliente?”, questiona Romeo.

Nunca esqueça que você pode baixar os preços do seu produto, mas o seu fornecedor pode não pensar da mesma forma. No final das contas o que seria uma ótima estratégia de vendas, pode se tornar o começo da sua falência.

Texto baseado no artigo da revista Exame

Por: Luciana Araújo

Via Capital Cartões

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.